Dicas para uma Piscina Segura


DICAS PARA UMA PISCINA SEGURA

    1. QUAL A MELHOR PROTECÇÃO:

A vedação é reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Aliança Europeia de Segurança Infantil (ECSA) como uma das estratégias mais eficazes na prevenção de afogamentos em crianças mais novas, pois atrasa o acesso a planos de água e ajuda a colmatar eventuais falhas, previsíveis, na vigilância do adulto, dando-lhe mais tempo para reagir assim que detecte a falta da criança.

Existem outras barreiras físicas tais como abrigo, cobertura rígida, electrónica ou manual, e outros sistemas de alerta como sistemas de alarme mas que, de acordo com a OMS e a ECSA, devem ser considerados sistemas de protecção complementares á colocação da vedação.

    1. QUAIS OS CRITÉRIOS E REQUISITOS MÍNIMOS A TER EM CONTA:

Nas Vedações:

      • Não devem ser escaláveis na altura de protecção.
      • Altura mínima de protecção 1,10m sem elementos de apoio para trepar.
      • Os espaçamentos entre elementos verticais não devem permitir a passagem de uma sonda esférica Ø90mm.
      • As vedações amovíveis devem para garantir a sua segurança, para a sua remoção ser necessário recorrer a uma ferramenta própria.
      • Cumprir com os requisitos exigidos na norma sobre os ensaios Dinâmicos, Estáticos e outros.

Nas Cancelas:

      • Devem possibilitar a passagem de pessoas com mobilidade reduzida.
      • Devem possuir um fecho automático e um trinco de segurança com abertura necessitando duas acções consecutivas.
      • Devem-se abrir para o exterior.
      • O funcionamento do sistema deve prevenir e evitar o risco de entalões de dedos, mãos e pés.
      • Cumprir com os requisitos exigidos na norma sobre os ensaios Dinâmicos, Estáticos e outros assim como garantir o seu bom funcionamento após 50 000 ciclos.
    1. QUAIS OS MATERIAIS A UTILIZAR:
      • Entre Aço, Inox, e o Alumínio este é o único que garante nunca enferrujar.
      • É o único que garante uma manutenção a custo zero, necessita apenas de uma simples lavagem com água e sabão.
      • É um material nobre, conjugado com a diversidade de cores e tipo de acabamentos certificados com o Label Qualicoat e Qualimarina.
      • A garantia de uma longevidade excepcional.
    2. QUAIS AS GARANTIAS E OBRIGAÇÕES DO FABRICANTE:

O fabricante devido ao seu Know-how, às Normas em Vigor, e devido aos Termos da sua Responsabilidade, tem o
dever de fornecer um produto devidamente:

      • Testado em Laboratório de acordo com as Normas em Vigor.
      • Garantir os padrões mínimos de Segurança.
      • A Garantia que o produto é entregue Pronto a Fixar conforme as Normas em Vigor.
      • Que o produto não sofreu qualquer alteração e que não põem em perigo os utilizadores.
      • O equipamento deve vir identificado e conter Advertências todos os 5 metros.
      • Fornecer Documentação diversa e Manual de Instruções onde deve constar:
          ⇒ Nome e contactos do fabricante

 

          ⇒ Contactos para o consumidor

 

          ⇒ Garantia do produto

 

          ⇒ Copia do Certificado de conformidade referente a Norma em vigor

 

          ⇒ Identificação do modelo aplicado

 

          ⇒ Informações relativas a instalação e manutenção

 

          ⇒ Avisos e Recomendações ao consumidor final

 

          ⇒ Identificação do equipamento
    1. QUAIS OS TERMOS DE RESPONSABILIDADE DO INSTALADOR:

O Instalador antes de aceitar a encomenda, deve assegurar-se que a vedação uma vez instalada fica a cumprir os requisitos da Norma em Vigor, para além de entregar no final da obra todos os documentos mencionados no art. D,
deve assegurar-se:

      • da Largura Mínima do cais de 1,25m para uso privado.
      • Que não existem pontos de apoios para trepar intermédios ou dentro da Zona Protegida que possa interferir com as alturas mínimas exigidas na Norma.
      • Do tipo de solo onde é colocada a vedação e as soluções afim de garantir uma boa estabilidade.
      • Prestar o serviço de Manutenção e Pós Venda.

Estas dicas foram retiradas da Norma Portuguesa NP 4500-2012 elaborado pelo o IPQ e a CT 166 (CATIM).

    • Elas não dispensam da leitura total da respectiva Norma nem de fazer uma avaliação de riscos no local.
    • O cumprimento dos requisitos da Norma não se substitui a responsabilidade individual nem ao dever de supervisão e vigilância que compete aos pais e educadores.

4525121[1]